Tags

, ,

Depois de todas as peripécias que me aconteceram (http://mindmakers.wordpress.com/2008/09/12/os-imponderaveis-da-nossa-vida/), lá vim parar a um hostel. Este sítio não se coaduna com privacidade e conforto, é mais indicado para pessoas “portáveis” como já me chamaram  o outro dia. Realmente tornei-me numa pessoa portável, eu não era assim, mas em 2 semanas já adquiri o ritmo de dormir em locais diferentes num curto espaço de tempo. Eu nunca me sentia bem sempre que mudava de lugar, precisava de um tempo de adaptação, mas neste momento esse tempo é tempo perdido.

Encontrar este local não foi fácil. Não tem qualquer sinalização, apenas um autocolante na campainha a dizer: “B&B Hostel”. Perguntei porquê e disseram-me que era de propósito. Mas antes de chegar lá tive de perguntar a toda a gente que encontrava onde era, mas quase ninguém sabia, pudera, isto é completamente underground. mas houve um tipo que me deu a seguinte indicação : “Straight, straight,…,straight, 500 mts and turn right!”, isto é uma coisa do género : “Segue, segue, segue…”, mais ainda porque era no caminho oposto aquele que eu devia seguir! E eu carregado com as malas e a chover. Ainda acho que o gajo estava a gozar comigo. Depois de me aperceber que não estava no caminho certo, voltei para trás e perguntei pelio hostel numa loja de bicicletas e lá o encontrei.

Depois de subir aquelas típicas escadas holandesas, que podem ver na foto, estas até são na antiga casa do Carvalho, mas as do hostel também são assim. Completamente na vertical, em forma de caracol para poupar espaço, não aconselhado para quem tem vertigens. Descê-las com as malas é algo que exige coragem.😀

Na recepção estava uma senhora já na casa dos 50, com mais de 100 Kg de peso e não movia o pescoço para os lados, mas é simpática. Entretanto encontrei um tipo espanhol chamado Jesus, que também era um “exchange student” sem casa, decidimos procurar um apartamento juntos, mas entretanto apareceu-me a proposta de casa, mas foi com ele procurar alguma coisa nas agências que arrendam quartos, mas não encontramos nada  e ele regressou á Espanha. Não foi uma decisão corajosa, mas compreensível já que esta  indefinição é bastante constrangedora. É para terem uma noção da dificuldade que é encontrar casa na Holanda, nem Jesus consegue…

O quarto onde fiquei é partilhado com mais nove pessoas e tem o aspecto que podem ver na foto. Concorrência de peso ao Ritz… Eu pensava que que a pior parte de dormir aqui era o facto de as janelas não terem persianas ou cortinas para tapar a luz que entra de manhã pelo quarto, sim, mais uma pérola da cultura holandesa, não tem persianas nas janelas. Fica mais bonito, mas acordar sempre ás 6 da manhã, é chato… Mas acordar a esta hora até admito, mas já tar acordado é que me custa, isto porque um par de gajos que estavam á minha beira decidiram sonhar que eram suínos e imitavam o seu grunhido na perfeição.  Eu até fazia o upload do ficheiro com a gravação desses melodiosos sons, mas tenho de pagar para fazer uploads audio no wordpress…

Hoje era suposto ir com uns tipos de Singapura, adeptos do Man UTD para ver um jogo do Ajax, o estádio fica aqui perto, mas os bilhete mais barato custa 55 €, não é para mim. Também conheci uns americanos que não votaram no Bush, e sabiam onde era Portugal! São os primeiros que conheço,  confesso que fiquei com boa impressão deles.