Tags

, ,

Hoje (7 de Julho de 2009), o presidente do Brasil Lula da Silva,recebeu o prémio Félix Houphouët-Boigny pela Busca da Paz da UNESCO, premiando os esforços a favor da paz, erradicação da pobreza e da protecção dos direitos das minorias. Durante a cerimónia o palco foi invadido por activistas que subiram ao palco envergando cartazes onde selula_amazonia podia ler “Lula-Salve a Amazónia, Salve o Clima”.

A razão de ser desta situação é o desflorestação selvagem da Amazónia. Este presidente tem um poder muito grande neste domínio. Cabe-lhe a ele vetar ou promulgar leis que impeçam as empresas com interesses nessa floresta que a explorem sem qualquer tipo de preocupação ambiental. Lula disse a propósito da proposta de internacionalização da floresta com forma de impedir o desflorestamento:

“A Amazônia é de fato e de direito da inteira responsabilidade da soberania nacional. Mas não somos nenhum troglodita para não entender que a preservação da Amazônia não pode ser apenas interesse do Brasil” (Fonte)

É um facto de que quem vive na Amazónia são brasileiros , e são 25 milhões! Mas é um património da Humanidade, a bênção de poder usufruir do mesmo acarreta ainda uma maior responsabilidade. O mesmo se aplica a todos os outros, mas a Amazónia é especial pela sua riqueza única. Um economista defendeu irresponsavelmente os benefícios do desmatamento (em Português do Brasil)  da Amazônia, justificando razões de puro cariz económico (o artigo pode ser lido aqui). É deste tipo de pessoas que eu tenho medo. Nesta altura do campeonato é mais do que necessário procurar soluções que equilibrem a qualidade de vida das pessoas, e a protecção da riqueza natural. É também necessário preservar a independência dos indígenas que vivem há séculos nessas terras. São de evitar atitudes colonialistas de outros países que certamente terão muito com que se preocuparem, mas defendo a intervenção a atitude construtivista em relação a este tema. É neste tipo de equilíbrios que eu vejo aquilo a que se pode chamar de evolução, e incrivelmente não é necessário construir não-sei-quantos quilómetros de auto-estradas e afins, neste caso até é preciso evitá-los.

Para informação desapaixonada  :D  e com o detalhe que merece, podem-se consultar os seguintes artigos, e claro está, o google…😀

Esquerda.net

Portugal Diário