Tags

, , ,

Esta sequência de imagens, ou esta:

fazem parte de um conjunto de imagens que a Direcção Geral de Saúde francesa divulgou, consideradas chocantes, as quais pretende colocar nos maços de tabaco franceses até 2011.

O tabaco mata milhões de pessoas, é uma morte completamente evitável. Ainda por cima, outras pessoas podem morrer por causa do vício de outrem, como fumadores passivos. Fica um péssimo cheiro na roupa e mau hálito. É um vicio, e só por isso, já é uma estúpidez. No entanto milhões de pessoas continuam a fumar. E fazem-no em plena consciência dos seus malefícios.

Apesar disto tudo, isolando a situação em que o tabaco prejudica a saúde dos outros e para isso existem leis a prevenir essa situação, embora não se possa evitar totalmente, considero que pôr estas imagens nos maços é tratar as pessoas com estúpidas. Pior do que isso, é reconhecer a própria incapacidade de defendera ideia com  argumentos, e não com recurso a “choque”.

Nessa lógica, era possível elaborar uma lista de coisas a evitar, que nos podem fazer mal e não são uma necessidade essencial.

  1. Beber álcool.
  2. Comer chocolates ou qualquer tipo de doces.
  3. Comer comidas de elevado valor calórico.
  4. Comer carne.
  5. Ir à praia, ou andar ao sol em geral.
  6. Sair à noite.
  7. (…)

Podia continuar por aqui fora. Agora imagine-se que desatavam a colocar imagens por todo o lado, com a possíveis consequências de perpretar os actos acima descritos (que frase com nível, ah? :D). Nos supermercados, na praia, nos bares, em todo o lado, basicamente. Por todo lado eram imagens de pessoas obesas, doentes, imagens de fígados negros, intestinos, cérebros, imagens de acidentes rodoviários com pessoas trucidadas. Imagine-se uma sociedade destas. Começava na escola primária. Imagens de fracturas expostas, para que os putos não andem de baloiço e se aleijarem.

Não me venham com tretas, estou cheio destes gajos. Que tipo de sociedade é que estes tipos imaginam? Como é que pensam em educá-la? Com o choque? As pessoas vão ter de pensar constantemente a pensar que vão morrer ou ferir-se gravemente. O negativismo generalizado. Nem vale a pena dizer mais, é patético recorrer a este tipo de meios. Traduz-se como “eu não tenho como defender o que penso, por isso arranjo assim umas imagens”.

Em relação ás pessoas fazerem coisas que sabem que lhes vai fazer mal. É o paradoxo que nos faz seres interessantes. A nossa procura pelo prazer faz-nos tomar atitudes que prejudicam a nossa carne, mas nós somos seres espirituais, que não se inibem em alimentar o espírito sacrificando a carne. Se o fazemos em consciência e não prejudicarmos terceiros, não há qualquer objecção a fazer. Para além disto, o resto é treta. Este é um assunto que merece uma reflexão mais profunda, mas para refutar a parvoíce das imagens (ou mensagens) no maço, é mais do que suficiente.

Se chegaram até aqui neste mórbido post, provavelmente estão mal-dispostos, enojados, deprimidos (provavelmente parte disso deve-se à qualidade da minha escrita). Agora, imaginem para qualquer lado que fossem encontrar dar de caras com estas imagens. Logo pela manhãzinha…