Tags

, , , , ,

Ai estão eles à carga. Os homens do capital aparecem com soluções que nos vão trazer progresso (ainda estou para conhecer a definição deste termo) e maravilhas para a vida. E como é que eles fazem isso? Através de um texto intitulado de “Manifesto por uma Nova Política Energética em Portugal”, assinado por 33 personalidades e que ataca as políticas de apoio às renováveis, que consideram “uma aberração económica”. São personalidades do espectro político, não estou a politizar, apenas a criticar uma ideia que cheira a mofo.

O manifesto pode ser lido aqui.

Eu sou a favor da discussão, discuta-se. Eles dizem no manifesto que a actual política energética traz consequências nefastas à economia portuguesa, e que estamos a ser enganados pelo governo por esta bandeira de campanha. Muito bem, o que se espera é que tão ilustres personalidades apresentem soluções que invertam este processo ruinoso para a nossa economia, e que sejam sustentáveis para o nosso ambiente e projectem um futuro melhor para a Humanidade. O que é que eles propõe? Energia nuclear…

A expressão “energia nuclear” não aparece no documento, mas os subscritores contactados pelo jornal i reconhecem que são favoráveis à discussão ao mais alto nível desta opção. Isto não é novo. Já pareceram vozes no passado a defender esta ideia. No Irão chamam-lhe de “amiga”, mas a situação aqui é diferente. Nem sequer estou a fazer a comparação, só estou a contextualizar, ou seja, no plano do ridículo.

Uma das personalidades é economista que João Salgueiro já mostrou bem aquilo que quer para o país. Agora O Passos Coelho também anda metido nisto? Eu só consegui ler o capítulo que eles disponibilizou no livro que escreveu, e apenas tinha banalidades, não sabia era que também andava metido nisto do nuclear. Incrível como ele não fez referência a este DETALHE na sua mais recente campanha.

Eu vou-me repetir mais um a vez. A escolha em causa é entre o dinheiro e uma Humanidade consciente das implicações das suas escolhas. Eles apenas debitam números, é sempre a mesma lenga-lenga. Ainda há pouco tempo houve uma Conferência de Copenhaga, onde se jurou a pés juntos que era urgente mudar a nossa conduta ambiental, e eles saem-se com esta.

Isto é muito simples. O nuclear sai muito mais barato, é economicamente vantajoso, eles afirmam que é, e acredito plenamente. É perigoso? De tal forma, que nem sequer deve ser considerado uma solução. Além do mais é uma derrota para os pacifistas que procuram soluções energéticas desde há décadas. Pessoas que lutam por um mundo melhor, uma Humanidade esclarecida.

Estas soluções de lógica economicista, não têm em conta uma convivência pacífica com a Natureza. O que seria o grande passo evolutivo da Humanidade. É apenas o continuar de um pensamento que nos trouxe a situações irreversíveis.

É um caminho difícil, este de manter um equilíbrio entre a ecologia e a “carteira” do cidadão comum, que legitimamente, apenas  se preocupa com o dia-a-dia. A obrigação destas pessoas formadas nas mais diversas áreas do conhecimento, é apresentar soluções dentro da lógica das energias renováveis. Não é acenando com dinheiro que o fazem.

Caso contrário, os do costume, aqueles a quem injustamente são apelidados de “radicais”, estarão no terreno para os combater.