Tags

, , , ,

Um Opel Corsa não combinava com o fato italiano. Se há virtude que tenho, é saber poupar dinheiro.

“O grupo estatal tem 388 viaturas atribuídas aos seus colaboradores, em grande parte veículos topo de gama (…)”. (Daqui)

A AdP justifica-se assim:

“Em relação aos administradores das empresas do grupo – que incluem as viaturas Audi A4 e BMW 320 -, e em cumprimento rigoroso do disposto no Estatuto dos Gestores Públicos, é da competência exclusiva da Assembleia Geral a atribuição e fixação da respectiva viatura que determina a viatura a atribuir”

A lei permite este tipo de abuso. É ridículo. É apenas show-off. Estou a ser demagogo? Restrinjo-me a factos. Num país sem dinheiro, é pura e simplesmente falta de inteligência. Ou pior, estão-se nas tintas para o país. Eu tenho um Reanault 19, e se fosse gestor da AdP, continuaria a andar com o meu carro. Um gestor que gasta, ou quer gastar, mais recursos que os necessários, é um gestor incompetente.

E quem naquela Assembleia tem coragem para mexer nestas regalias? Alguém num daqueles partidos que bateram o record de gastas com  a última campanha eleitoral? Mesmo que houvesse alguém, duvido que o pudesse dizer alguma coisa sem ter problemas, provavelmente de “disciplina partidária”.