Tags

, , , , , , , , , , , ,

O álbum duplo “Alpha Noir / Omega White” é mais recente trabalho da banda portuguesa.

Talvez o álbum mais cru dos Moonspell, onde se sente menos a presença do teclado, e uma proeminência maior do trio clássico do metal guitarra/baixo/bateria, afastando-se do gótico para o trash em alguns momentos.

O single “Lickanthrope” é banal relativamente ao que abanda já fez, não entendo porque é o single  do álbum, esse deveria ser a “Axis Mundis”, a abertura do álbum. O videoclipe é engraçado, embora um pouco infantil, a julgar pelo uivo do Fernando Ribeiro aos 2:20.

Este álbum contém uma música em português, língua que encaixa muito bem no ambiente Moonspell,  a melancolia sonora da nossa língua já por si só tem muito de gótico. Chama-se “Em Nome do Medo”.

O “lado B” tem uma sonoridade diferente, não considero que seja o “white side” do trabalho, pois o lado obscuro permanece, mas é bem menos pesado, talvez mais na linha do que fizeram no inicio da década passada.   Rezam as criticas que o “Omega White” constitui um tributo a bandas como Type O Negative ou Sisters of Mercy, influências de Moonspell. Na “Herodisiac” nota-se Therion claramente. De facto algumas músicas são bastante distintas entre si, e depois de ouvir este lado até ao fim fico com dúvidas do qual gosto mais.

É um bom álbum, tem algumas coisas interessantes, a guitarra e o baixo têm mais pujança construindo o seu som com base nas fundações do metal, o melhor em bastantes anos. Talvez o mais interessante desdo o Pecado. O “lado B” oferece um contraste entre diferentes estados de espíritos dentro do metal, está muito bem conseguido nesse sentido.   Acrescenta algo ao percurso que a banda vem trançando, mais porrada no mosh de certeza. Recomendo para quem gosta de metal com energia e lirismo.