Tags

, , , , , , ,

Steve harris British Lion

O lendário baixista dos Maiden, Steve harris, aventurou-se recentemente num álbum a solo intitulado de “British Lion”. Apesar da sua sólida consagração, considero um álbum a solo do compositor principal da dama de ferro uma aventura, na medida em que as comparações são inevitáveis.

Como seria de esperar, é um álbum muito bass-driven, quer a nível da composição, quer a nível da gravação. Esta característica não reflecte um qualquer protagonismo por parte de Harris,  um vedetismo que seria uma tentação fácil para uma lenda viva de Heavy-Metal, o baixo destaca-se pela inspiração enciclopédica de um músico que conhece todos os tiques do metal.

É um bom álbum, onde pontualmente nos esquecemos de Maiden, mas os refrões “Ohhhh! Ohhhh!” e os coros de guitarras não traem a proveniência, embora isto não aconteça em todas as faixas. Li algumas entrevistas ao Steve Harris, e ele diz que procura mostrar algumas das suas influências, tais como UFO ou The Who. Faixas como “World Without Heaven” ou “The Chosen Ones”, transportam o ouvido imediatamente para os eighties, ou para o lado B do Fear Of The Dark, mas mantém a solidez das primeiras músicas do álbum.

Hoje, constatarei o verdadeiro valor do projecto, ao vivo, no Hard Club.