Tags

, , , , , , ,

bill calahan

Num domingo à noite, sobre o céu da Casa da Música acercavam-se  as nuvens cujas lamurias húmidas  carpiu sobre as cabeças da incauta plateia que encheu a Sala Guilhermina Suggia.   Enquanto se materializava essa surpresa meteorológica, já Circuit des Yeux, uma rapariga com uma guitarra de doze cordas,  fazia as suas melodias melancólicas traduzidas em acordes abertos transportados pela acústica impecável da sala.

A sensibilidade de um músico também poderá ser medida pelo seu conforto com o silêncio. Bill Callhan constrói uma emotividade sofisticada, através de letras inteligentes e detalhes musicais, numa composição original e muito bem tocada por um excelente guitarrista que o acompanha. O domingo à noite não tem de ser necessariamente um domingo à noite.