Tags

, , , ,

Entre o pouco que conheço e o que menos me interessa, o Joe Satriani vai tocar no Super Bock Super Rock.  Fico à espera da reportagem do jornalista Cristiano Pereira, porque sou um defensor incansável do contraditório. Vai haver um tributo a Lou Reed, é assinalável e estão de parabéns.

Os festivais de verão tornaram-se politicamente correctos, pouco tempo depois de terminarem, já se fala na edição do próximo ano, e as televisões enchem-se de reportagens que se confundem com uma qualquer festa VIP numa discoteca daquelas barradas por um armário à entrada para filtrar indumentárias inadequadas. No ambiente, não se diferenciam de uma Queima.

Dantes irritava-me muito com cartazes desprovidos da música que gosto de ouvir, agora sinto apenas o pequeno transtorno que a melancolia causa. Sei que não é viável economicamente ter um festival com as características dos festivais de verão, que não reflicta a tendência a tendência do Top Of The Pops, as coisas que gosto de ver, vou vendo em concertos esporádicos.

Há uma uniformização do entretenimento, devido a uma maior quantidade de pessoas a participar em festivais, é um bom sinal, significa que há possibilidades financeiras e oferta, mas o carácter underground de um festival é o seu tempero. A minha expectativa para um festival, é encontrar coisas diferentes de uma saída à noite.